Em 1941 foi criada a Associação Profissional dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha de São Paulo e Santo André, tendo como Presidente Reynalado Folla, Lazaro Bernardes dos Santos, Secretário e Sergio Mesquita, Tesoureiro.

Em 18/06/1942 foi reconhecido o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha de São Paulo e Santo André, com a mesma diretoria da associação profissional, portanto, o primeiro Presidente foi Reynaldo Folla.

No ano de 1945, com a queda do governo de Getúlio Vargas, houve intervenção no sindicato e nomeada uma Junta Governativa composta por Luiz Ramos, Francisco Vergara e Humberto Cavalcanti, que dirigiu o sindicato até o ano de 1946, quando houve eleição da nova Diretoria, presidida por Leonardo Vitor Molinaro, tendo como Secretário João Leocadio da Silva e Tesoureiro Sergio Mesquita.




No transcurso daquele mandato, Leonardo Vitor Molinaro renunciou, houve recomposição da diretoria e quem assumiu a presidência foi João Leocadio da Silva, que permaneceu no cargo até 24/05/1947, quando houve nova intervenção, desta vez do então Ministério do Trabalho Indústria e Comércio.

A nova Junta Governativa foi constituída por Leonardo Vitor Molinaro, Geraldo Santana de Oliveira e Humberto de Araujo Lucena. Leonardo Vitor Molinaro não tomou posse, assumindo a Presidência da Junta Governativa Geraldo Santana de Oliveira, que permaneceu no cargo até setembro de 1950, quando se desincompatibilizou para concorrer a eleição, que se realizaria naquele ano, Oswaldo Lima foi eleito Presidente.

Até 1948, a denominação era Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha de São Paulo e Santo André, quando foi promulgada uma lei estadual que criou o município de São Caetano do Sul, que era distrito de Santo André.