Teremos mais um ano difícil

Este ano tivemos a eleição presidencial mais disputada de toda a história. Por menos do que 2% do total dos votos, foi reeleita a presidente Dilma Rousseff, que prometeu apurar todos os escândalos denunciados amplamente pela imprensa: corrupção, enriquecimento ilícito, doações irregulares, entre outros. No calor da campanha eleitoral, são apresentadas soluções para todos os problemas. Mas sabemos que a triste realidade será outra: teremos mais desemprego, fechamento de fábricas, miséria e salários cada vez mais achatados pelas terceirizações, quarteirizações, além das más condições de trabalho, saúde e segurança.

Infelizmente, quem paga por isso é sempre a classe trabalhadora. As empresas dizem que nunca lucram, as desculpas são as mais variadas: impostos altos, direitos trabalhistas demais, concorrência de outros países e por aí vai.

Nós já estamos acostumados com tudo isso e também sabemos o que fazer para impedir que sejamos ainda mais massacrados: a união entre trabalhadores, trabalhadoras e Sindicato. Por isso nos preparamos bem antes da data base, que é 1 de junho, e buscamos unidade entre sindicatos, o que foi conquistado neste ano.

Gostaríamos muito de dizer que o ano de 2015 será lindo, maravilhoso, com aumento de empregos e salários, mas sabemos que a realidade será muito diferente e temos que nos preparar ainda melhor. Contamos com a colaboração de todos, a diretoria do Sindicato está preparada e pretendemos fazer o nosso trabalho cada vez melhor.